Miguel Murteira

foto de grupo num congresso de marketing multinível em 2019

Network Marketing: A Evolução do Marketing Multinível

Para a maioria das pessoas o Network Marketing, também chamado de Marketing de Rede, é algo desconhecido.

Para outras é algo duvidoso ou mal visto. E algumas pessoas consideram ser a melhor coisa do mundo.

Como podem haver opiniões tão díspares sobre um mesmo tema? 🤔

A realidade é que o Network Marketing é um dos modelos de negócio de maior relevância e de maior crescimento em todo o mundo.

Este artigo tem como missão trazer informação fidedigna, desmistificando vários mitos ainda existentes e expondo a realidade desta indústria.

Entre os vários tópicos abordados, veremos o que é o Network Marketing, os seus perigos, as suas vantagens e desvantagens e como se diferencia dos outros modelos de negócio.

Deduzo que poderá estar aqui, por um ou vários destes motivos:

  • Procura uma nova oportunidade;
  • Quer empreender mas não sabe por onde começar;
  • Já trabalha na área do Network Marketing e quer aprender mais;
  • Alguém lhe apresentou recentemente uma oportunidade de Network Marketing;
  • Tem apenas curiosidade em conhecer.

Independentemente do motivo que o(a) trouxe cá, quero desejar-lhe as boas-vindas a esta breve viagem sobre o Marketing de Rede.

Iremos abordar alguns conceitos fundamentais, bem como entrar em mais profundidade noutros. Sempre tentando manter a informação o mais concisa e útil possível.

Pode também utilizar o índice como um auxiliar de navegação pelas várias partes do artigo.

Caso pretenda empreender ou procure uma nova oportunidade, continue comigo. Iremos mapear alguns pontos-chave que o(a) vão ajudar a perceber se trabalhar nesta área de negócio faz sentido para si.

Tudo começa com a venda direta.

O que é a Venda Direta?

É um conceito muito menos abrangente do que o de marketing.

Significa vender um produto ou serviço diretamente ao consumidor final, por meio de um agente de venda direta. Em média, o agente de venda direta recebe uma comissão de 30% por produto vendido.

Nos meios digitais a venda direta pode ser também chamada de Marketing de Afiliados.

É uma opção de auto-emprego que permite ter flexibilidade de horários e que não tem limite de ganhos para o vendedor. Porém, não gera liberdade, pois o vendedor está dependente das suas vendas pessoais para ganhar dinheiro.

É uma profissão que ganha muita expressão em tempos de crise económica como a que vivemos agora, pois é algo acessível a qualquer pessoa.

O facto de não haver barreira de entrada na profissão apresenta também alguns desafios, como veremos adiante.

Factos da Venda Direta

Segundo a Associação Europeia de Venda Direta este setor cresceu de forma constante nos últimos 5 anos e só na Europa tem mais de 15 milhões de pessoas envolvidas. As empresas de venda direta na Europa empregam mais de 25 mil pessoas!

É de salientar que esses 25 mil postos de trabalho não contabilizam os agentes de venda direta, pois esses não são empregados mas sim agentes/empresários independentes.

Segundo o Relatório de 2019 da Federação Mundial das Associações de Venda Direta, na Europa faturaram-se 34 mil milhões de euros.

Como vê é um setor muito sério e com um volume de negócios gigantesco.

O Vendedor Profissional

Por norma as pessoas têm uma ideia pré-concebida acerca dos vendedores. Isto acontece porque existem muitos maus profissionais a trabalhar em vendas, não apenas na venda direta.

Por não haver barreira de entrada na profissão, nem sempre nos deparamos com os profissionais mais competentes. É algo lamentável e que influencia negativamente a imagem social da profissão de vendedor.

Eu também passei por esta fase quando comecei e acaba por ser algo inevitável, porque é algo que só se aprende na prática. Mesmo que se tenha uma boa base teórica, só quando começamos a lidar com clientes de forma regular é que nos profissionalizamos.

Assim, torna-se importante estabelecermos a diferença entre um vendedor e um vendedor profissional.

De agora em diante ao mencionar a palavra vendedor refiro-me sempre ao vendedor profissional.

Existiria muito mais a dizer mas, em resumo, a minha definição de vendedor profissional é:

O vendedor profissional possui um alto nível de energia, conhecimento técnico aprofundado, competências relacionais acima da média (human-skills) e é hábil na arte de identificar as necessidades dos clientes e lhes providenciar as soluções mais adequadas, gerando vendas de determinados produtos ou serviços.

O modelo de Venda Direta

Normalmente o modelo de venda direta é usado pelas empresas quando os produtos que vendem necessitam de um aconselhamento muito personalizado e específico. Não apenas no momento da venda, mas também no próprio acompanhamento (follow-up) ao cliente após a venda.

À medida que os produtos e os serviços evoluem vão-se tornando cada vez mais complexos e mais específicos. Estão constantemente a aparecer novos subnichos e micronichos de mercado, cada um com as suas particularidades.

Assim, existe a necessidade de uma recomendação e acompanhamento super especializado ao cliente final.

Relevância Atual e Futura

Devido à pandemia mundial de covid-19 e à adoção acelerada da tecnologia, essas vendas e seguimentos especializados migraram para o digital.

E esta mudança apresenta novos desafios, exigindo ainda maior conhecimento técnico e uma melhor capacidade de entendermos e de nos relacionarmos com as outras pessoas.

Comunicar no Digital vs Pessoa a Pessoa

Ao comunicarmos o nosso produto ou serviço no digital a alguém que não nos conhece, não é possível fazer um diagnóstico completo das suas necessidades, como é feito fisicamente.

Claro que se já conhecermos a pessoa e já tivermos o contacto dela podemos fazer esse trabalho por videochamada ou por telefone.

Mas, para o público que ainda não nos conhece ou que não temos forma de contactar diretamente, é absolutamente necessário aprender a fazer marketing através dos meios digitais.

Não é de espantar que segundo o Relatório do Futuro dos Empregos de Outubro de 2020 do Fórum Económico Mundial, os Especialistas em Marketing e Estratégia Digital sejam a 4ª profissão com maior procura atualmente.

Entre as 15 habilidades profissionais mais importantes no relatório destaco a liderança e influência social, a inteligência emocional e a negociação e persuasão. Junto com o marketing digital, estas são skills determinantes para o sucesso no Network Marketing.

Em suma, mais do que nunca a venda direta é um trabalho necessário e cada vez mais especializado.

O que é Marketing?

Gostaria de lhe apresentar a definição de marketing segundo Philip Kotler.

Philip Kotler é um dos maiores nomes do marketing mundial. É autor de diversos livros best-seller e é também doutorado em economia pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology), uma das universidades mais prestigiadas de todo o mundo.

“Marketing é a ciência e arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um público-alvo com geração de lucro.”

Philip Kotler

A Associação Americana de Marketing define marketing como:

“A atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e transacionar ofertas que gerem valor aos consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral.”

Associação Americana de Marketing

Mas podemos tentar transformar estas definições abrangentes em algo mais “palpável”.

O Profissional do Marketing – O Marketeer

A minha definição de marketeer engloba a definição já dada de vendedor profissional. A meu ver o marketeer é:

Um vendedor profissional que sabe identificar as necessidades e desejos de um determinado cliente ideal, sendo capaz de conceber, comunicar eficazmente, concretizar e acompanhar todo o processo de venda e pós-venda de um bem ou serviço, gerando valor para ambas as partes de forma ética.

O marketeer é também um vendedor. Ponto.

Quem tem formação em marketing e tem vergonha de dizer que é vendedor é porque ainda não compreende a fundo a sua profissão.

O objetivo principal do marketeer é usar todas as ferramentas que conhece, de forma ética e responsável, para gerar vendas.

O objetivo final é sempre as vendas.

Sendo o marketing uma ciência e uma arte, o marketeer necessita integrar conhecimento das ciências exatas e das ciências sociais tais como a economia, matemática, estatística, neurociência, psicologia e comunicação, entre outras.

Entendendo o que significa marketing, vamos agora clarificar os conceitos que levam ao atual Network Marketing.

O que é o Marketing Mononível?

O marketing mononível é o modelo de negócio que recompensa o empreendedor com uma margem de lucro pelos produtos que vende diretamente e também com uma comissão sobre as vendas de um nível de vendedores.

Para clarificar, significa que apenas ganha comissão com as vendas dos vendedores que patrocina diretamente. Não ganha comissões sobre os vendedores que os seus associados trazem para a rede (network).

O Marketing Mononível, pela sua simplicidade, é considerado como sendo apenas venda direta.

O que é o Marketing Multinível?

Através do marketing multinível o empreendedor deixa de estar limitado a um auto-emprego e passa a ter a possibilidade de criar uma empresa de distribuição própria. Assim, deixamos de usar o conceito de vendedor/agente de venda direta e passamos a usar o conceito de empresário/distribuidor.

O marketing multinível é uma especialização dentro da venda direta.

No marketing multinível o empresário ganha a margem de lucro das suas vendas e também recebe uma comissão de múltiplos níveis de empresários/distribuidores.

Tal como no marketing mononível, ganha comissão sobre o primeiro nível de distribuidores que patrocina pessoalmente. A esse primeiro nível chama-se a lateralidade da rede.

Ou seja, ganha com a faturação dos empresários que patrocinou pessoalmente (o primeiro nível), mas também com os empresários que são integrados nos seguintes níveis. Diz-se que ganha comissão com os vários níveis de profundidade da sua rede.

Algumas empresas limitam os ganhos até um certo nível de profundidade ou limitam a forma como a rede pode ser construída. Mas há outras cujo plano de compensação é mais atrativo e não impõem esse tipo de restrições.

O Marketing Multinível assemelha-se a uma rede de franchisados.

A Nuvem Negra do Network Marketing – Esquemas de Ponzi

Os esquemas de Ponzi, conhecidos vulgarmente como “esquemas em pirâmide” ou “pirâmides financeiras”, estragaram a reputação do Network Marketing em muitas partes do mundo.

As pirâmides financeiras são ilegais. Para quem não conhece a indústria do Network Marketing, as pirâmides podem ser facilmente confundidas com negócios de Marketing de Rede.

As pirâmides financeiras já existiam antes de aparecer o Marketing Multinível, desde 1920.

A primeira empresa a criar um modelo de negócio legal de Marketing Multinível foi a Amway, após a sua abertura em 1959. Em 1979 provou a sua legalidade.

Pirâmides Financeiras vs Negócios de Marketing Multinível

Num negócio legítimo de Network Marketing os ganhos da empresa e dos distribuidores advêm da venda dos produtos ou dos serviços que a empresa providencia.

Esses produtos ou serviços têm de resolver um problema real, ser de qualidade diferenciada no mercado e ter um preço competitivo.

Os sinais de alerta

Num negócio de Network Marketing não se ganha dinheiro nem recompensas ao recrutar novos empresários. O dinheiro tem de provir sempre da venda dos produtos ou serviços aos clientes finais, por parte do empresário e dos seus associados.

Para ser distribuidor de uma empresa de Marketing de Rede nunca lhe poderão pedir valores altos pela inscrição em si. Pode haver uma taxa de inscrição mas nunca de valores altos como centenas ou milhares de euros.

Se lhe apresentarem algum valor de inscrição junto com um pack de produtos da empresa, isso já é diferente. Mas têm de ser sempre produtos ou serviços reais, que funcionem e que tenham qualidade acima da média.

Além disso, esse pack de produtos, apesar de poder ser altamente recomendado, tem de ser sempre de compra opcional para o novo empresário.

As pirâmides financeiras geram dinheiro com a entrada de novos membros cobrando uma taxa alta, podendo usar um ou alguns produtos como fachada e afirmam que é uma forma rápida e fácil de ganhar dinheiro.

O dinheiro das “inscrições” é fracionado e distribuído por quem já se “inscreveu” antes, e apenas ganha dinheiro quem entrou antes de si no esquema.

Atualmente, de acordo com a Associação Brasileira de Venda Direta, também é necessário cuidado redobrado com as empresas que afirmam trabalhar com investimento em criptomoedas (moedas virtuais). É um modelo de negócio que não combina com o Network Marketing porque não pode garantir rentabilidade, devido à grande volatilidade das moedas virtuais.

Serem dadas apenas garantias e serem omitidos os riscos da operação é um forte indício de que se trata de uma pirâmide financeira.

Associação Brasileira de Venda Direta

O que é o Network Marketing?

O Network Marketing é a evolução do Marketing Multinível.

Pressupõe uma relação forte entre as pessoas, usada para gerar vendas e fidelizar clientes e para construir uma rede de distribuição de empresários sólida.

Nele inclui-se o conceito de Marketing de Relacionamento que visa a fidelização dos clientes através de uma relação de proximidade e personalizada de longo-prazo, transformando-os em mega fãs dos produtos ou serviços da empresa.

Pressupõe também uma comunicação constante, de duas vias. No caso do Network Marketing, o cliente precisa sentir-se à vontade para esclarecer as suas dúvidas e expor eventuais insatisfações junto do seu empresário.

O Network Marketing é a evolução do Marketing Multinível, no sentido em que se torna mais centrado nas pessoas. O Multinível era muito focado na apenas nas vendas e nos objetivos comerciais.

Já o Network Marketing é uma vertente muito mais humanista que coloca no seu centro a satisfação das necessidades de todos os envolvidos e a sua fidelização com a marca.

Algo que torna o Marketing de Rede tão atrativo e tão confuso em simultâneo, é a riqueza dos seus planos de compensação. A secção seguinte tem como missão ajudar a esclarecer esse tema.

Os Planos de Compensação no Network Marketing

Sistemas de Pontos

As empresas de Marketing de Rede trabalham com sistemas de pontos, em vez de falarem apenas no volume de faturação em euros.

Apesar de ser mais difícil para nós pensar em pontos em vez de euros, esse sistema tem vantagens. Permite às empresas de Marketing de Rede definirem compensações justas aos empresários, em vários países e nas várias moedas de todo o mundo, que estão sempre a mudar de valor.

À medida que o empresário e a sua rede geram faturação, são-lhes atribuídos pontos. No final do mês esses pontos são convertidos em dinheiro, em produtos ou em outras recompensas, conforme as empresas.

Ler detalhadamente o plano de compensação da empresa é de extrema importância para entender a relação de valor entre os pontos e o dinheiro.

Algumas empresas dão imensos pontos e o empresário pode ficar com a sensação de que já alcançou muito. Contudo, quando converte essa imensidão de pontos em euros, descobre que esses pontos têm muito pouco valor. Atenção a isso.

Conceitos base

Gostaria de esclarecer alguns conceitos antes de continuarmos.

Em Marketing de Rede referimo-nos ao empresário que nos patrocinou como sendo o nosso upline, ou seja, quem está imediatamente antes de nós na linha de patrocínio (line of sponsoring).

Por sua vez, todos os que fazem parte da sua rede e se registaram depois, são os seus downlines.

Quando nos referirmos a alguém que patrocinámos diretamente, para simplificar, chama-mo-lo frontal.

A cada rede de um frontal nosso chamamos uma perna (leg). Falamos de cada perna como sendo uma das nossas redes, uma sub empresa, semelhante a um franchisado.

De seguida, veremos alguns dos planos de compensação mais comuns no Network Marketing. Iremos apenas analisar a estrutura base, pois cada empresa adapta esta estrutura para criar um plano de compensação que lhe seja único.

Tenha em Atenção

Muitas empresas incentivam a compra mensal de stock com encomendas recorrentes ou até valores obrigatórios de compras mensais para manter a inscrição na rede. Muito cuidado com isto.

É assim que as pessoas podem vir a gastar o que não têm, apenas para manter uma inscrição ou cumprir um objetivo de vendas.

E se depois não conseguem vender esse stock a clientes finais? E se não forem produtos que consumam mensalmente? Repito, muito cuidado.

A inteligência financeira deve guiar as nossas decisões em primeiro lugar. Sempre.

Feitos os esclarecimentos e os avisos, vamos aos planos de compensação!

Matriz

É um plano de compensação comum, mas limita a quantidade de frontais que cada empresário pode ter.

Vamos supor que a matriz é de 1 x 3.

Significa que cada empresário apenas pode ter 3 pessoas ligadas a si no nível seguinte, apenas 3 frontais. Todos os que o empresário recrutar depois desses 3 primeiros, “transbordam” (spill over) automaticamente para a profundidade da rede, ligados aos downlines.

Por norma estes planos recompensam o empresário com “bónus de recrutamento de novos empresários”. Funciona assim porque não se ganham comissões da rede até se ter construído até um determinado nível de profundidade.

Isto só pode acontecer porque as empresas que trabalham com matriz exigem um valor mínimo mensal de compras a cada empresário.

O dinheiro destes bónus de novos inscritos vem da movimentação dos kits de produtos iniciais, o que é lícito.

Tem mais vantagem que o mononível, pois permite construir vários níveis de profundidade na rede e ganhar uma comissão percentual sobre a faturação de um dos níveis na profundidade.

Usualmente quanto maior o número de frontais permitidos na matriz, menor é o número do nível de profundidade do qual se recebe o pagamento.

Tem as desvantagens de apenas ganhar a comissão de um dos níveis da profundidade e de todos os empresários serem obrigados a fazer um volume mínimo de compras mensal.

Unilevel

Este plano de compensação permite a criação ilimitada de frontais e tem um limite nos níveis de profundidade que pagam comissão.

Por norma estes planos pagam uma comissão percentual de toda a faturação gerada pelos novos empresários, num determinado período de tempo inicial, por exemplo 60 dias.

Após esse período de tempo inicial, as comissões são calculadas através de uma percentagem da faturação de cada nível.

A título de exemplo, uma das empresas que usa o plano de compensação unilevel é a DoTerra. Eles pagam uma percentagem da faturação de cada nível, até ao 7º nível de profundidade.

Binário

Este plano de compensação é muito comum e permite apenas a criação de dois frontais, ou seja, apenas duas pernas.

À semelhança da matriz, após os dois primeiros, todos os outros empresários que são recrutados para a rede serão distribuídos por essas duas pernas (spill over).

Por não se poder escolher a estrutura da rede, tanto a matriz como o binário são “mais fáceis” de explicar e usar. O empresário só tem de se preocupar com o recrutamento e a faturação, estando a construção da rede a cargo da empresa.

A compensação é baseada nos volumes de faturação de cada perna da rede. Mas, na maioria dos casos, a comissão é paga sobre a perna que fatura menos.

Após um determinado volume de faturação (um ciclo), os pontos são convertidos em comissões para o empresário.

É um plano que pode apresentar limite de comissões (limite de ciclos). Assim, perde-se liberdade na estrutura de rede e a longo-prazo perde-se rentabilidade pelo limite de ciclos. Além disso, a perna que mais fatura não conta para a comissão recebida.

A título de exemplo, uma das empresas que usa o plano de compensação binário é a USANA.

Stair Step Breakaway

Este plano de compensação permite ao empresário escolher qual a estrutura de rede que quer fazer, baseado na rentabilidade e na solidez de negócio que pretende.

Uma rede com apenas lateralidade é mais rentável, mas não é sólida.

Uma única rede com uma grande profundidade é sólida, mas é necessário ter mais redes laterais (mais frontais) para haver rentabilidade.

Assim, ter uma rede equilibrada na lateralidade e na profundidade é a melhor solução para se ganhar dinheiro e para haver solidez e previsibilidade nos rendimentos.

Esta liberdade na escolha da estrutura deposita essa responsabilidade no empresário.

Nestes planos de compensação as comissões não são atribuídas pelo que se fatura em cada nível em específico, mas sim por patamares de faturação mensal.

Tal como o nome indica funciona por degraus (stair steps), degraus de volume de faturação.

À medida que os empresários progridem e as suas empresas faturam mais a cada mês, vão galgando esses degraus que lhes pagam melhores percentuais de comissões.

Tal como os outros, é um plano de compensação que paga pelas gerações de líderes criadas na downline.

Chama-se breakaway porque quando um downline chega a um determinado nível de faturação passa a ser totalmente independente. Separa-se (breaks away) do seu upline e os pontos que a sua rede gera deixam de contar para o volume de grupo do upline. A partir desse momento o upline ganha um royalty por toda a faturação gerada nessa organização líder.

Tal como nos franchisings, um royalty é uma comissão percentual de toda a faturação gerada.

Para finalizar o breakaway, a Amway é a pioneira no setor do Marketing Multinível e tem um plano de compensação stair step breakaway. Em 1979 ganhou a batalha legal com a Federal Trade Comission nos EUA e provou que o Marketing Multinível é legal.

Híbridos

Há milhares de combinações e alterações possíveis a estes planos de compensação base mas não é o foco deste artigo aprofundarmos esse tema.

Deixo-lhe apenas um exemplo de plano de compensação híbrido como o da Jeunesse, que dá comissões em até 7 níveis de profundidade (semelhante ao unilevel) mas que também usa uma estrutura binária, com ciclos.

Estes planos híbridos, que misturam o unilevel e o binário, são bastante comuns hoje em dia.

Rendimento Passivo: Falsas Promessas?

Outra dúvida muito comum nesta indústria é se de facto se pode ter liberdade financeira. Vamos analisar.

Define-se rendimento passivo como um rendimento que não depende da nossa presença física ou esforço laboral.

Ora, aqui é onde se destaca a verdadeira beleza do Marketing de Rede, pela possibilidade de obter rendimento passivo, após a construção de uma rede sólida e rentável.

No fundo, independentemente do plano de compensação, chega a um ponto em que o líder upline recebe vários royalties por ter ajudado os downlines a criarem a suas próprias empresas (dentro da sua rede), que geram faturação constante todos os meses.

Se a rede tiver sido bem construída essa faturação continua a ser gerada, mesmo que o upline “não trabalhe” ativamente.

Sim o Marketing de Rede gera liberdade financeira, se se trabalhar para isso.

É um modelo de negócio brilhante porque incentiva o upline a mentorar, apoiar e trabalhar junto com os seus downlines. Quanto mais eles crescem mais o upline cresce. É uma relação ganhar-ganhar.

Por isso, é importante haver uma forte liderança e desenvolvimento pessoal nos membros de toda a equipa. Essa é a razão pela qual muitas empresas de Network Marketing se apoiam em sistemas de formação para os empresários.

Vantagens do Network Marketing

  • Desenvolve as competências sociais: soft skills/human skills;
  • Ensina a ser empresário e um verdadeiro líder: o Marketing de Rede é um negócio de pura liderança;
  • Ensina marketing e vendas: competências indispensáveis para ter sucesso nesta área;
  • Pode trabalhar em tempo parcial;
  • Controla o seu horário e quanto quer ganhar: o rendimento depende do esforço pessoal e da alavancagem dada pela rede;
  • Liberdade para estruturar o seu negócio: não tem chefes, para o bem e para o mal;
  • Investimento inicial nulo/baixo: se adquirir alguns produtos junto com a inscrição poderá começar o seu negócio com apenas umas centenas de euros;
  • Permite criar rendimento passivo: liberdade financeira;
  • Tem um mentor interessado em ajudá-lo a crescer e evoluir.

Desvantagens do Network Marketing

  • Não há chefes: não ter a obrigação de prestar contas do seu trabalho pode levar a que não cumpra o que tem de ser feito;
  • Terá de ser um líder e não um chefe: As pessoas recrutadas não vão querer nem poderão ser mandadas, mas sim mentoradas. A liderança exige muito tempo e muita prática até obter mestria;
  • Precisa ser um bom comunicador: não precisa ser extrovertido mas necessita de saber comunicar-se de forma eficaz ou ter a vontade de aprender;
  • Investimento baixo: não ter de pagar milhares de euros para começar um negócio pode levar algumas pessoas a não terem o compromisso suficiente para trabalhar, até obter resultados;
  • Depende do próprio esforço: em especial no início, os rendimentos dependem 100% do esforço do empresário;
  • Exige autonomia;
  • Terá de lidar com muita rejeição: receberá muitos “nãos” e o seu caráter, crença e tenacidade serão postos à prova;
  • Não dá status social: por enquanto, ainda não é uma profissão reconhecida pelo público em geral.

Posso perder dinheiro?

A resposta rápida é sim, pode perder dinheiro se tomar algumas decisões erradas. Em baixo tem a informação de alguns erros a evitar.

Os relatos de perda dinheiro no Network Marketing devem-se a um ou vários dos seguintes fatores:

  • Empresas que obrigam a um valor mensal fixo de compras: no início o empresário pode não ter a capacidade de vender esses produtos ou usá-los;
  • Investimento em stock físico que não sabe se vai conseguir escoar: por exemplo o investimento em stock para cumprimento de objetivos de faturação;
  • Facilitismos desnecessários: como entregar produtos a clientes (offline) e não receber o pagamento antes ou no momento da entrega.

Ter stock para consumo próprio faz sentido. Além disso, se o empresário tiver uma carteira de clientes regulares que lhe compram offline, justifica-se ter em stock os produtos que esse clientes compram regularmente.

Mas para a maioria dos empresários, com a digitalização atual dos negócios de Network Marketing, não é necessário ter stock físico nem é isso que se preconiza.

Em suma, só perde dinheiro no Network Marketing quem tiver atitudes pouco inteligentes.

As Maiores Empresas de Network Marketing

Poderá consultar o ranking das 50 maiores empresas de Venda Direta e/ou Marketing Multinível na Direct Selling News.

No ranking de 2021 as 5 maiores empresas em faturação foram:

  1. Amway: 8,5 mil milhões de dólares (network marketing);
  2. Natura: 7,16 mil milhões de dólares (venda direta);
  3. Herbalife: 5,5 mil milhões de dólares (network marketing);
  4. Vorwerk: 4,48 mil milhões de dólares (venda direta);
  5. Coway 2,8 mil milhões de dólares (network marketing);

Quais as empresas de confiança?

Estar no ranking da Direct Selling News é um dos indicadores de que a empresa é credível.

Além da análise cuidada do plano de compensação, podemos confirmar a legitimidade de uma empresa verificando se esta se encontra inscrita nas associações de venda direta (portuguesa, europeia ou do país onde vive).

Adicionalmente, a maioria das empresas sérias oferecem também uma garantia de satisfação dos seus produtos, por exemplo garantia de satisfação de 90 dias.

O Network Marketing é Para Mim?

Ser Networker, um profissional do Network Marketing, é algo acessível a todas as pessoas mas não é para toda a gente.

Quero com isto dizer que é uma oportunidade aberta a qualquer pessoa que esteja disposta a aprender a profissão e a trabalhar, mas não é uma profissão que se ajuste a todo o tipo de pessoas.

Requer um espírito empreendedor, de quem quer algo mais da vida.

Terá de lidar com muita rejeição, prospetar, vender, gerir conflitos dentro das equipas, trabalhar o seu marketing digital, entre muitos outros desafios.

Ser networker não é uma profissão perfeita. Junto com o seu alto potencial vem também um preço a pagar.

Você é a pessoa que melhor se conhece e só você poderá saber se o Network Marketing é para si.

Caso a profissão lhe desperte interesse e a decida desenvolver, determine um timming para atingir resultados. Decida dedicar-se por 1 ano, 2 anos, 5 anos, sem parar.

Algo triste que acontece neste ramo é as pessoas não se darem tempo nem trabalharem o suficiente até verem resultados. E depois ficam a achar que é o negócio/indústria que não funciona.

O negócio funciona, mas é preciso trabalhar e ser persistente. “Tentar” no Network Marketing, não resulta.

Como Começar no Network Marketing?

1) Escolha uma Empresa

Ao escolher a empresa com a qual deseja trabalhar é importante ter em consideração:

  • As suas áreas de maior interesse e vocação
  • Se o produto o(a) apaixona
  • O plano de compensação

Para você vender produtos, criar uma carteira de clientes e construir uma rede próspera tem de ser apaixonado(a) pelo que faz.

Se encontrar um produto com que você se identifica muito, se apenas uma empresa o tem e se você sabe que a empresa é de confiança, escolha essa empresa!

Mas se os produtos de que gosta existem em várias empresas, faça a sua investigação sobre cada uma delas.

2) Investigue o Histórico da Empresa

Investigue bem as origens da empresa que escolher. Perceba há quantos anos estão no mercado e se têm um histórico de crescimento estável, com boas reviews dos seus produtos.

Procure saber os fundamentos dos fundadores, quais os seus valores, a sua visão e missão para a empresa. É importante que você se identifique com a visão da empresa que escolher.

Verifique também se os produtos da empresa que escolheu são de alta rotatividade, isto é, se são de consumo contínuo e previsível.

O Network Marketing é o modelo de negócio ideal para produtos de consumo básico e/ou diário.

3) Leia e Estude o Plano de Compensação

Leia e entenda em profundidade o plano de compensação da empresa.

Alguns planos de compensação podem ser confusos, contudo vale a pena ler até entender.

É importante dominar o plano de compensação por dois motivos:

  1. Você precisa entender como será pago pela empresa;
  2. Precisará esclarecer os seus futuros empresários, caso eles tenham dúvidas.

4) Estipule um Orçamento para Começar

Quando comecei a trabalhar em Marketing de Rede com a Amway em 2015, nunca tinha trabalhado na vida e nem sequer tinha dinheiro para a inscrição. Todavia, isso não foi impedimento para começar a trabalhar e ganhar logo dinheiro na profissão.

Ter um orçamento disponível para começar a empreender não é absolutamente necessário, mas é muito recomendável. Além da taxa de inscrição, cujo valor depende de empresa para empresa, necessitamos também de comprar os produtos para os testarmos.

A base de tudo é o produto. Se não formos verdadeiros fãs dos produtos nunca conseguiremos gerar vendas nem criar uma rede sólida de Network Marketing.

O ideal é você se tornar o avatar transformado do produto, isto é, você obter em si a transformação que o produto oferece.

Partilhar a sua história e a forma como o produto mudou a sua vida será sempre a forma mais potente de vender o produto a alguém. Aquilo a que chamamos vender, sem vender.

Os clientes compram porque se identificam com a sua história e querem a mesma transformação que você teve.

Não digo que não deve conhecer em detalhes todas as valências e características técnicas dos produtos, muito pelo contrário. Mas, acredite que não é a conversa técnica e lógica que levará os seus futuros clientes a comprar de si.

A minha recomendação, se isso lhe for possível, é que reserve algumas centenas de euros (ou até um ou dois milhares) para começar o seu negócio. Isso dar-lhe-á um fundo de maneio confortável para se inscrever, comprar produtos, investir em formação e comprar material para facilitar o seu trabalho como Networker.

5) Conecte-se ao Sistema de Formação

Este tópico não é negociável.

Todos os grandes líderes desta indústria, independentemente das empresas, lhe dirão a mesma coisa. A formação é a base do sucesso no Network Marketing.

Se não estiver disposto a aprender e a elevar as suas competências, se achar que já sabe tudo, o Network Marketing não é para si.

É uma nova profissão e necessitamos ter a humildade para entender que todos começamos do zero.

Se decidir empreender nesta área, parte do seu papel como mentor será ajudar novos empresários a começar.

Assista a todas as formações e congressos a que tenha acesso. Escute os podcasts recomendados pelo seu upline e leia os livros sugeridos. Essa informação vai ajudá-lo a tornar-se um profissional desta indústria e, como bónus, um melhor ser humano.

6) Seja Treinável

Be coachable.

Russell Brunson

Procure na sua linha de patrocínio alguém que já tem os resultados que você quer e deixe-se guiar pelas indicações que lhe dão. Aqui falo por experiência própria, tanto pela positiva como pela negativa.

Deve deixar-se guiar pela sua intuição e fazer o que lhe parece ser mais certo. No entanto, é importante entender que os conselhos de quem já tem os resultados são os mais valiosos que você pode seguir.

Tal como os atletas de alta competição, deixe-se guiar pelo seu treinador, o seu upline.

Ele já lá chegou. Tenha a humildade de seguir o que lhe é recomendado e simplesmente pôr o trabalho.

7) Faça os Básicos até se tornar Profissional

Como lhe falei acima, todos somos maus quando começamos nesta profissão. Mas é totalmente normal, porque estamos no começo!

Assim, e como diz um grande líder desta indústria, para deixarmos de ser medíocres temos de fazer as coisas certas com a frequência necessária.

Qualquer profissão tem tarefas que são imprescindíveis fazer para obter sucesso. O Network Marketing não é exceção.

O foco nas tarefas básicas e a repetição das mesmas é o que leva à mestria e aos resultados nesta profissão.

Lembre-se da frase acima, em todos os momentos.

É Tudo Estatística

O Network Marketing é um jogo de números e de probabilidades.

Se convidar 100 pessoas para escutarem a sua oportunidade de negócio é normal que apenas umas 20 aceitem o seu convite, e que apenas umas 5 tenham o perfil certo e se inscrevam na sua rede. (Os outros 15 podem ficar seus clientes 😉)

Repito, é normal.

Funciona desta forma em todos os negócios. Mas, como a maioria de nós nunca empreendeu antes do Network Marketing, podemos não ter a consciência destes detalhes.

Continue a trabalhar, entenda que é um jogo de números.

Conclusão

Espero que este artigo lhe tenha esclarecido as suas dúvidas sobre o Network Marketing.

Antes de mais quero dar-lhe os parabéns por ter chegado até aqui.

É um artigo longo, com muita informação e ter chegado até aqui demonstra o seu interesse nesta área.

Se procura algo mais para a sua vida, se decidiu que está na altura de fazer algo de diferente por si e pela sua família, pode saber mais clicando aqui.

Um forte abraço e até ao próximo artigo!

Referências

Instituto Português de Venda Direta – IPVD

Associação Europeia de Venda Direta – SELDIA

Associação Brasileira de Venda Direta – ABVD

Fórum Económico Mundial

5 1 vote
Article Rating
Subscreve as notificações de comentários
Notifica-te acerca de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments